quarta-feira, 11 de março de 2009

A Tom foi Maior em 2009

Esquecido, o povo que tanto sofreu foge da dor. Tanto sofrimento físico já não importa mais, de tão anestesiado. A ferida aberta n'alma é que mais mortifica. Mas latente mesmo é o sofrimento da mãe que fica, ao ver a foto do filho que vai. Todo aquele sentimento rasgou o meu espírito como lança. E chorei em soluço como criança. Como não fazia havia 15 anos.

Chega de opressão. O pelúdio de uma história de redenção. O povo que tanto sofreu há de renascer. A Angola devastada pela guerra aos poucos se transforma. Edifícios em trevas anunciam uma história arrebatadora. Heróis de tempos opostos como Nzinga, a rainha guerreira de Ndongo, e Agostinho Neto, o primeiro presidente depois da independência, reconstróem uma nação em epopéia.

Não se esquece de outros tempos bicudos em que, entre correntes e lamentos, Angola varou o Atlântico e, mesmo sob grilhões, os angolas não foram esquecidos pelo deus Zambi. Então, fizeram do Brasil negro o seu gueto. O filho da terra, então, desbrava a terra de seus ancestrais e vira embaixador dos dois lados do mar.

Martinho José é o final apoteótico. Mais do que o filho que leva a sabedoria africana ao lugar que o concebeu, ele é parte da história desta nação em vermelho e amarelo. Pois a sua história em Tom Maior começa nos versos de um poema seu. Que, coincidência ou não, fala do surgimento de uma vida.

Os juízes da festa foram implacáveis: um desonroso décimo primeiro lugar. Tem nada não. O que fica de verdade é o legado esculpido no coração. E isso, Tom Maior, ninguém tira de você. Muito obrigado!

2 comentários:

Dani disse...

Eu assisti a Tom na avenida. O Martinho era pura emoção. E realmente a escola não mereceu a posição. De verdade, os jurados me deixam meio sem entender o que tá rolando. Quem tava na arquibancada podia ver alguns deles quase dormindo, rs. Não sei quais os critérios utilizados e, esse ano, causaram polêmicas e reclamações de quase todas as escolas. Vc seria um ótimo jurado. PQ não se candidata? rs.
Dani Ela
Relaxei Demais

Felipe Rangel disse...

Por motivos de "força maior, Dani. Nesse aspecto, a minha vida é um paradoxo, que ainda explicarei em um post futuro.

Eu sou um intérprete frustrado. rs.

Beijos